VIDA E MISSÃO DE MARIA

24/05/2012 14:24

alt

 

Não se tem uma grande biografia de Maria, a mãe de Jesus. Contudo, a Bíblia traz algumas referências chave sobre a mulher, através da qual o mistério Redentor resgatou de uma vez por toda a humanidade frágil. Todas as informações sobre Maria chegaram até nós através dos autores bíblicos e da tradição católica. Até mesmo no Antigo Testamento, embora não de forma tão clara, aparecem algumas alusões à mãe do Redentor.

Em Gn 3, 15 aparece uma primeira ideia, quando Deus fala com a serpente (símbolo do mal): “Porei hostilidade entre ti e a mulher, entre tua linhagem e a linhagem dela. Ela te esmagará a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. Alguns estudiosos de Mariologia apontam essa mulher citada como uma pequena referência a Maria, pois não seria possível a vitória definitiva sobre o pecado através de Eva. O descendente da Mulher, isto é, Jesus foi quem venceu de uma vez por toda o pecado e a morte. Outra ideia sobre Maria aparece em Is 7, 14: “Eis que a jovem está grávida e dará à luz um filho e dar-lhe-á o nome de Emanuel.”

Os Evangelistas no Novo Testamento apresentaram dados mais consistentes sobre Maria, embora sucintos também. Com base no Evangelho de Lucas, observa-se que ela era uma jovem virgem, nascida em Nazaré na Galiléia, prometida em casamento a José. Ela ouviu a saudação do anjo Gabriel com os ouvidos e com o coração. Inicialmente ficou apreensiva, teve dúvida, medo, enfim; o certo é que Maria se entregou totalmente à vontade de Deus, isso se confirma na fala dela: “Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” Assim Maria dá seu sim generoso, para gerar em seu ventre, por ação do Espírito Santo de Deus, o Salvador da humanidade.

Leonardo Boff (2003), em O Rosto Materno de Deus, afirma que: “A fé cristã confere a Maria Santíssima uma importância impar e transcendente. Sua dignidade eminente reside no fato de ser a mãe do Deus encarnado; não apenas num sentido físico-biológico, mas principalmente num sentido de engajamento pessoal e livre (...); a virgindade e a maternidade, expressões de um compromisso inteiro com Deus supõem uma existência livre, desde o seu cerne e princípio, de toda contaminação do pecado original e pessoal que dramatizam a existência humana: ela é venerada como a Imaculada Conceição”.

A Igreja desde seus primórdios vem estudando sobre Maria, o seu significado na história da salvação, seus dogmas, sua fidelidade e sua vida missionária doada para edificação do Reino de seu Filho, Jesus Cristo, nosso irmão. Nossa mãe Maria acolhe em seu coração puro, nosso louvor, nossas homenagens, nossa disposição para fazer tudo que Jesus disser, como ela nos ensinou nas bodas de Caná. Com alguns traços históricos, mas, sobretudo com a profundidade mística presente na vida de Maria, conclui-se que ela é a Mãe de Deus feito homem.

Ao partilharmos um pouquinho da vida e missão de Maria, contemplemos o mistério Redentor de seu Filho, que por meio dessa mulher amorosa, nasceu no meio nós para nos garantir vida em abundância na terra e no céu. Nessa dinâmica, Maria nos ensinou a fidelidade a Deus, a entrega total e o servir com o coração puro. Nossas famílias e comunidades se encontram diante do testemunho bonito de Maria, é preciso levá-lo a diante.


 

André Lomba

Seminarista diocesano

seminaristandre@hotmail.com

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!