JUVENTUDE E POLÍTICA

28/09/2012 22:24

 

Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão, Se fecharem os poucos caminhos, mil trilhas nascerão”

Nos dias atuais tornou-se habitual questionarmos e desaprovarmos os nossos representantes legitimados pelo voto a eles conferidos – os políticos – nos momentos em que nos sentimos desrespeitados, desassistidos em nossas necessidades diversas, sejam na saúde, educação, segurança, saneamento básico, emprego, moradia e em outros variados serviços públicos que a federação, estados e municípios devem oferecer e que são direitos fundamentais dos cidadãos.

Em tempos eleitorais a palavra que mais se ouve e se pronuncia é CIDADANIA. Mas acontece que uma parcela considerada da população pensa que ser cidadão basta exercer o direito e DEVER de votar nos dias das eleições. Ocorre que nós patriotas desta nação conhecemos e sempre buscamos nos informar de nossos deveres enquanto cidadãos e o Estado está sempre nos deixando cientes de nossas obrigações. Entretanto são poucos os brasileiros que conhecem conscientemente os seus direitos e exigem que sejam repeitados e praticados. Na verdade a maioria conhece apenas o direito de cumprir com os seus deveres e não entendem que a Constituição Federal que nos impõe inúmeros deveres é a mesma Constituição que nos apresenta e declara os nossos direitos relacionados à saúde,educação, segurança, lazer, etc.

Portanto, precisamos compreender que ao votarmos e elegermos nossos governantes estamos delegando a eles – entregando a eles o poder, a autoridade para nos representar, nos defender, lutar em nosso nome pelos nossos direitos – e se em algum momento nossas escolhas foram errôneas e/ou equivocadas temos órgãos competentes para nos defender e exigir o cumprimento aos nossos direitos – o Ministério Público, o Judiciário.

Para concluir, meus irmãos e irmãs em Cristo – caros cidadãos e cidadãs – é preciso entendermos que a sociedade é quem faz os seus políticos e o contrário é inaceitável. Esperamos confiantes pelo dia em que a sociedade se unirá para exigirem que sejam cumpridos os seus direitos e perceberemos então que à escolha dos políticos será o menor detalhe a ser observado ao referir-se em cidadania, pois, independente de quais sejam os representantes do povo estes deverão cumprir as leis e respeitar aos cidadãos e caso contrário responderão civil e criminalmente por suas más gestões e representações. Entretanto, enquanto sonhamos e almejamos essa nova realidade, lutemos e unimo-nos para que nossas escolhas sejam as melhores possíveis em vista do bem comum de nossas cidades e nação. Sejamos realistas e esperançosos e com o nosso voto de confiança busquemos legitimar como nossos representantes pessoas idôneas e comprometidas com a vida e vida em plenitude.


Adenil Borges- Dedé

Grupo de Jovens Kairós de São João Evangelista/MG

Coordenador Paroquial e Diocesano da Pastoral da Juventude

adenil.borges@hotmail.com

Confira este texto na íntegra nos sites: kairossjevangelista.com e/o diocesedeguanhaes.com.br


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!